NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Seguidores

Pesquisador diz: A Terra Não é Nossa ''PERTENCE A UMA RAÇA QUE NOS CRIOU''

Sumérios, os Anunnaki e a Origem da Humanidade

Uma das teorias mais interessantes sobre a origem da humanidade atual foi proposta pelo autor paranormal Zecharia Sitchin e gira em torno dos Anunnaki (em sumério: “aqueles que desceram do céu”). Os Anunnaki correspondem ao antigo hebraico Anakeim e Elohim e o egípcio Neter.

De acordo com Sitchin, os Anunnaki vieram de Nibiru, o misterioso ainda não confirmado décimo planeta do nosso sistema solar. Eles desembarcaram na área do Golfo Pérsico há 430.000 anos, e colonizaram o nosso planeta com a intenção de minerar ouro monoatômico, que era escasso em Nibiru, mas ainda abundante na Terra.

As operações de mineração ocorreram sem contratempos por 200 mil anos, até que os mineiros se rebelaram e os Anunnaki ficaram sem a sua força de trabalho. Documentos que Sitchin traduziu informam que os Anunnaki empreenderam esforços na busca por novos mineiros, esforços que culminaram com o surgimento do Homo sapiens.

Após tentativas frustradas de misturar o DNA de animais com o Homo erectus, os chefes cientistas dos Anunnaki (Enki e Ninhursag), utilizaram seu próprio material genético no Homo erectus, pai dos humanos modernos. Seu sucesso foi ofuscado pelo fato de que seus novos escravos humanos eram clones estéreis e como a demanda por força de trabalho aumentou, eles modificaram geneticamente a humanidade para que fosse capaz de se reproduzir.

Esta capacidade de reprodução levou à superpopulação, então muitos seres humanos foram banidos da segurança de suas cidades, dando origem ao mito da expulsão do paraíso que tantas culturas ainda divulgam de forma distorcida.

Milhares de séculos mais tarde a espécie humana evoluiu para a estabilidade e novamente chamou a atenção dos Anunnaki. Eles resolveram tirar proveito do novo estoque genético e alguns foram escolhidos como parceiros sexuais. As crianças que resultaram destas uniões proibidas foram chamadas de Nefilins, “os gigantes da antiguidade”. Esta quebra de protocolo também resultou na aniquilação da população de nefilins restante, exceto por alguns indivíduos escolhidos que foram protegidos por Enki, que ainda nutria simpatia por sua criação. Estes eventos estão presentes como patrimônio cultural de muitas civilizações.

Depois de centenas de milhares de anos escravizando a sua criação para servir os seus interesses obscuros, os Anunnaki decidiram deixar a Terra. Sua influência chegou a todos os cantos do mundo, na Mesopotâmia, na Índia e na América do Sul.

De acordo com Sitchin, o êxodo dos Anunnaki aconteceu há cerca de 6.000 anos atrás. Antes de partirem eles decidiram dar à humanidade um impulso, que pode ser resumido como o surgimento da civilização suméria, que foi inexplicavelmente avançada para o seu tempo. Na verdade, os sumérios fizeram um aparecimento “repentino e inexplicável” como uma cultura já madura e altamente organizada. Os Anunnaki ensinaram aos sumérios seu modo de vida e o estabelecimento de reinados. O rei atuaria como seu emissário na Terra governando o povo sob a orientação deles. Sua linhagem geneticamente selecionada foi reforçada com genes Anunnaki e eles receberam ensinamentos sobre astronomia, matemática, tecnologia e medicina.

Apesar do ceticismo com que esta teoria tem sido aceita, Sitchin cita vários documentos e descobertas que comprovam a sua pesquisa.

O épico babilônico da criação chamado Enuma Elish representa a história da formação do nosso sistema solar. De acordo com ele, a Terra ainda não tinha se formado quando um planeta errante chamado Nibiru foi capturado pela força gravitacional do nosso sol. Ele perturbou muitos planetas, Luas e inclinou a órbita de Urano. Em seguida, colidiu com Tiamat, um planeta gigante que já orbitava entre Marte e Júpiter.

A Terra nasceu desta colisão e a Lua de Tiamat se tornou a nossa Lua. O que afetou a órbita de Nibiru, estabelecendo uma elíptica retrógrada de 3600 anos (quando gira em frente dos outros planetas) orbitando ao redor do Sol. Curiosamente, simulações computadorizadas indicam a ocorrência de um evento semelhante como a origem do nosso planeta. Isto certamente explica uma série de inconsistências em nossa teoria atual sobre a Lua.

Sitchin também acredita que a existência de artefatos fora do lugar como as baterias de Bagdá ou o pássaro Saqqara podem ser atribuídos a uma civilização antiga, mas altamente avançada. Ele também menciona a descoberta “proibida de ser divulgada” de uma fábrica de processamento de ouro Anunnaki no Monte Horebe, Sir Flinders Petrie, em 1889.

Escavações arqueológicas na antiga cidade mesopotâmica de Nínive descobriram 400 tabuletas de argila intactas na biblioteca de Assurbanipal. Estas tabuletas contêm registros históricos contínuos abrangendo totalmente as atividades dos Anunnaki. Os registros colocam a localização dos laboratórios de genética Anunnaki no leste da África Central, que curiosamente é exatamente a mesma área onde nossas pesquisas modernas encontraram o DNA “mitocondrial de Eva” e que por “coincidência” datam do mesmo período de tempo. Ainda mais interessante é que minas de ouro de 100 mil anos de idade, foram encontradas na área.

Sitchin acredita que sem dúvida a nossa evolução foi acelerada. Ele e outros pesquisadores afirmam que as nossas diferenças genéticas radicais e anômalas fornecem bastante evidência para comprovar esta teoria.

Eles também afirmam que os Anunnaki ainda estão governando a Terra.
Fonte
Mais um post by: UFOS ONLINE

                                               Veja o Vídeo Abaixo:


                                               Fonte:ApocoNica

Deixe seu comentário aqui

Nome

E-mail *

Mensagem *